Mercado imobiliário deve ficar estável na comparação com 2016, diz CBIC

Apesar dos sinais de recuperação da economia brasileira, o mercado imobiliário ainda opera no campo negativo em 2017, segundo dados divulgados nesta segunda-feira, 11, pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC). No terceiro trimestre deste ano, as vendas de imóveis caíram 5,1% na comparação com o segundo trimestre. A quantidade de lançamentos recuou 11%. Os números são do estudo Indicadores Imobiliários Nacionais, uma iniciativa da CBIC e do Senai.
Considerando os dados acumulados no ano, de janeiro a setembro as vendas apresentam queda de 1,5% na comparação com igual período de 2016. A quantidade de lançamentos recuou 8,6% no mesmo período.
Mas, na comparação do terceiro trimestre deste ano com o terceiro trimestre de 2016, os números já mostram reação. As vendas tiveram elevação de 4,2% e os lançamentos, de 14,7%. "O resultado consolidado do ano será conhecido no início de 2018, mas a tendência é que esse segmento fique estagnado em 2017", informa a entidade.
A expectativa do setor é de melhora em 2018, a depender da capacidade do governo de destravar o crédito e melhorar o cenário jurídico para os investimentos.
O estudo aponta que, se o número de lançamentos não tivesse caído, as vendas de 2017 já poderiam ter superado as de 2016. Mas, segundo o presidente da entidade, José Carlos Martins, o grande número de imóveis devolvidos fez com que as construtoras não conseguissem saldar suas dívidas junto aos bancos. Com isso, não puderam iniciar novos empreendimentos.

Deixe seu comentário

 

Envie este artigo por e-mail

Informe seus dados e os do destinatário: